Segundo o Estadão, a Avianca Brasil entrou com um pedido de recuperação judicial nesta segunda feira (10/12/2018). Com dívida de R$ 500 milhões, a companhia aérea vinha tendo dificuldades de saldar os seus compromissos. As arrendatárias das aeronaves pediram, então, reintegração de posse de 14 aeronaves, o que poderia ocasionar redução de 30% da frota, prejudicando o atendimento de 77 mil passageiros até o final do ano. Sem saída, a empresa pediu recuperação judicial e a Justiça concedeu tutela antecipada suspendendo as reintegrações de aeronaves.

Segundo o Itau BBA, a Azul e a Gol seriam as principais beneficiadas com eventual interrupção das operações da Avianca Brasil. Nessa terça-feira, as ações da Gol subiram 13% e da Latam negociadas no Chile subiram 4,2%. As ações da Azul já haviam subido 6,5% na segunda-feira (fonte: Uol Reuters). Por sua vez, a IATA afirma que a recuperação judicial da Avianca é um sinal de consolidação do mercado aéreo brasileiro (fonte: Uol).

Isso, no fundo, representa uma péssima notícia para o consumidor brasileiro.

De fato, com o aumento da concentração no setor aéreo brasileiro, as empresas tendem a utilizar ainda mais o seu poder de mercado, aumentando os preços das passagens aéreas, especialmente, nesse contexto de desvalorização da moeda brasileira e de aumento dos preços dos combustíveis. A Avianca Brasil detém 12,70% de participação no mercado doméstico, segundo a Abear (dados de julho/2018).

É bom já ir planejando as suas compras de passagens aéreas para 2019!

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It