Geysers el Tatio: o ponto alto da viagem ao Atacama #4

Nosso quarto dia no Atacama começou cedo. Às 4:30hs partimos para visitar os Geysers el Tatio. Mas, vale a pena madrugar, pois o passeio é simplesmente imperdível! Definitivamente, os Geysers são o ponto alto da viagem ao Atacama em todos os sentidos!

É necessário sair cedo, pois só é possível observar os fenômenos naturais ao amanhecer. São aproximadamente duas horas de viagem até os Geysers el Tatio, a 4.300 metros de altitude.

  • Fica a dica: Um ponto positivo do Hostal Pueblo de Tierra, onde ficamos, é que, sabendo dos horários dos passeios, eles preparam o desjejum às 4 horas da manhã para os turistas.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by ClasseTurista (@classeturista) on

Geysers, a propósito, são nascentes termais que entram em erupção periodicamente, lançando uma coluna de água quente e vapor d’água (fonte: wikipedia).

No percurso, começamos a sentir o frio do local. A agência oferece, inclusive, alguns cobertores para os turistas durante a viagem.

Nossa primeira parada foi justamente no campo geotérmico El Tatio, que tem uma área total de 10 km². A entrada também é paga à parte: custa 10.000 pesos por pessoa.

Além da paisagem impressionante, com montanhas e diversas áreas cobertas de neve no meio do deserto, é indescritível ver aquelas águas quentes brotando do chão, como se tivessem numa panela fervendo, e um vapor d’água que dá o toque final na paisagem.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by ClasseTurista (@classeturista) on

O que acontece é que a água subterrânea submetida à alta pressão busca uma saída pela superfície através de fissuras da crosta terrestre. A água alcança uma temperatura de 85°C. A água quente e os vapores d’água podem chegar a uma altura de 10 metros.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by ClasseTurista (@classeturista) on

No campo geotérmico, há uma piscina natural onde é possível se banhar nas águas quentes. Há vestiários e banheiros, mas não tive coragem de entrar, pois estava muito frio lá fora. 

Nos campos, há caminhos delimitados por onde os visitantes podem passar. Importante não ultrapassar esses limites, por questões de segurança. Não se deve aproximar dos Geysers ou dos Vapores sob risco de queimadura de terceiro grau. Além disso, há fiscais por todos os lados.

Café da Manhã, Geysers El Tatio
Café da Manhã, Geysers El Tatio

Após visitar os 2 campos, era hora de tomar o café da manhã (novamente) preparado pelos guias da excursão. Tinha panquecas, doce de leite, café, suco, leite e pão com queijo e presunto. Armamos uma mesa ao lado do veículo e aproveitamos para nos esquentar com uma bebida quente.

Após o café, ao partirmos do Campo Geotérmico, já não era mais possível ver o vapor d’água saindo das cavidades.

Bofedales

Bofedal, Deserto do Atacama
Bofedal, Deserto do Atacama

Saindo dos Geysers el Tatio, fomos conhecer os Bofedales.

  • Bofedal é uma zona úmida localizada em elevadas altitudes. A área úmida é o habitat de diversas aves da região.
Bofedal, Deserto do Atacama
Bofedal, Deserto do Atacama

Como estávamos no inverno, as paisagens estavam todas repletas de neve, o que nos permitiu esses belíssimos registros.

Mas, além de tirar fotos, eu aproveitei a parada para fazer “skibunda” nos morros repletos de neve.

Brincando na Neve, Deserto do Atacama
Brincando na Neve, Deserto do Atacama

Povoado de Mapocho

Povoado de Mapocho
Povoado de Mapocho

Partimos para o Povoado de Mapocho. É um pequeno povoado, com poucos habitantes, nas proximidades da rodovia.

Povoado Mapocho
Povoado Mapocho

O que se destaca é uma igreja e uma lanchonete, onde você pode provar os espetinhos de lhama (3.000 pesos por espetinho). Apesar de a carne ser saborosa, não vi nada de especial no local.

Vale dos Cactos Gigantes (Guatin)

Vale dos Cactos Gigantes
Vale dos Cactos Gigantes

Nossa última parada foi no vale dos cactos gigantes. Como o próprio nome diz, é um vale onde você pode encontrar cactos imensos. O interessante do local é fazer um trekking de 9 km até chegar às Termas de Puritama. Isso, deixamos para a próxima visita!

Vale dos Cactos Gigantes
Vale dos Cactos Gigantes

Retornamos ao hotel à tarde. Aproveitei para descansar no hostal.

Jantar no Restaurante Blanco

À noite, voltamos ao Restaurante Blanco. Dessa vez, provamos o delicioso Quinoto: risoto de quinoa com frutos do mar.

No último dia, visitaríamos as Lagunas Altiplanicas e o Salar de Atacama.

Até lá!

Emerson Cesar

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Press ESC to close

Enviando dinheiro para a Argentina via Western Union Buenos Aires: comendo bem e barato