Paulo Afonso é um município de 120 mil habitantes, no estado da Bahia, situado na tríplice divisa com os estados de Sergipe e Alagoas. Conhecida como a “Capital da Energia”, a cidade é a sede de um Complexo Hidrelétrico da Chesf – a Companhia Hidrelétrica do São Francisco. Sua história esteve sempre ligada à geração elétrica que alimenta boa parte da região nordeste no Brasil.

Paulo Afonso situa-se no Baixo São Francisco, numa região de clima semiárido do nordeste do Brasil. Embora a cidade não seja famosa pelo turismo de lazer, conta com várias atrações e passeios para quem quer descobrir a impressionante beleza do Velho Chico e seus cânions, lagos, parques e balneários.

Recomendo passar de 2 a 3 dias inteiros na cidade. Neste post, você confere as principais atrações de Paulo Afonso. Quem diria que o sertão nordestino pode ser tão encantador!


Sobre Paulo Afonso, leia também:


Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf)

Sala de Operações, Usina de Paulo Afonso, Chesf
Sala de Operações, Usina de Paulo Afonso, Chesf

A história de Paulo Afonso se confunde com a da Chesf, a Companhia Hidrelétrica do São Francisco. Até a construção da Chesf, Paulo Afonso era apenas um povoado do município de Glória/BA e hoje é uma cidade emancipada, a mais importante dessa região do Baixo São Francisco.

Importante mencionar que a criação da Chesf foi fundamental para superar o déficit energético da região nordeste do Brasil. Até então, a oferta de energia elétrica nessa região era mínima e dependente, em larga medida, de termelétricas que funcionavam de maneira precária.

Visitar a Chesf é, portanto, obrigatório para quem quer conhecer Paulo Afonso. Não apenas pela importância histórica ou urbanística, vale visitar a Chesf pela impressionante beleza da paisagem natural que só lá você vai apreciar.

A Chesf foi criada por um decreto de Getúlio Vargas, em 1945, mas constituída apenas em 1948, no Governo Dutra. O ponto de partida da Chesf foi a construção da Usina Paulo Afonso I, uma das primeiras usinas subterrâneas do Brasil, inaugurada pelo Presidente Café Filho em janeiro de 1955. Após a Paulo Afonso I, outras foram criadas em Paulo Afonso e arredores, formando um complexo com 5 usinas (Paulo Afonso I, II, III e IV e Apolônio Sales).

Durante essa expansão, foi construído um canal para a Barragem da usina Paulo Afonso IV, criando um imenso lago e a Ilha de Paulo Afonso. Ou seja, o centro de Paulo Afonso foi transformado em uma ilha fluvial.

A visitação à Chesf deve ser feita por intermédio de uma agência de viagens e com agendamento prévio. Você contrata o guia e o leva em seu automóvel para fazer o percurso. O preço do guia gira em torno de R$150 para cada veículo.

Rio São Francisco e Instalações da Chesf, Paulo Afonso
Rio São Francisco e Instalações da Chesf, Paulo Afonso

No agendamento, você terá que preencher um formulário com seus dados pessoais, o qual será encaminhado à Chesf.

Após a pandemia, a visitação passou a ser feita de quinta a domingo e feriados, com quatro turnos, com 60 pessoas cada, divididos nos seguintes horários: 8h às 10h; 10h às 12h; 12 às 14h e 14h às 16h.

O percurso do passeio envolve, dentre outras etapas, conhecer um pequeno museu da Chesf, a sala de operações (de fora), ver o Rio São Francisco e seus Cânions, e visitar a Ilha do Urubu, de onde você poderá avistar a Cachoeira de Paulo Afonso (foto em destaque) e a Usina Angiquinho, a 1ª hidrelétrica construída no nordeste, inaugurada em 1913, pelo pioneiro Delmiro Gouveia.

Parque Belvedere

Parque Belvedere, Paulo Afonso
Parque Belvedere

O Parque Belvedere é um pequeno parque situado às margens da represa das usinas de Paulo Afonso (Paulo Afonso I, II e III). É um lugar agradável, bonito e arborizado, ideal para fazer um piquenique, uma sessão de fotos ou simplesmente relaxar. É comum encontrar famílias, casais de namorados  e moradores por lá, especialmente, aos finais de semana.

O parque foi inaugurado em 1958 e juntamente com as áreas verdes, lagos artificiais e demais praças, ajudou a criar um microclima próprio no acampamento da Chesf, que deu origem à cidade de Paulo Afonso. Um monumento no parque homenageia os primeiros trabalhadores da Chesf.

Em 2007, foi considerado Área de Contemplação por Lei Municipal, que regulamentou a utilização do parque e instituiu uma área de proteção sonora no local.

O parque Belvedere contempla um lago, um mirante (na represa), mesas, área de lazer e estacionamento. Infelizmente, a represa está infestada de “baronesas”, uma planta aquática que indica má qualidade da água.

Por estar situado ao lado da Chesf, vale a pena incluí-lo no seu roteiro após a visita à usina.

Ponte Metálica D. Pedro II

Ponte Metálica D. Pedro II, Paulo Afonso
Ponte Metálica D. Pedro II, Paulo Afonso

A Ponte D. Pedro II é uma belíssima ponte metálica sobre o Rio São Francisco, na divisa entre os estados da Bahia e Alagoas, situada na BR-423. A ponte liga o município de Paulo Afonso/BA ao de Delmiro Gouveia/AL.

Com uma impressionante estrutura metálica, a ponte tem 240 metros de vão e 86 metros de altura em relação ao rio. Alguns pesquisadores afirmam que a ponte foi construída com ferros franceses, os mesmos utilizados na construção da Torre Eiffel.

A ponte começou a ser construída na década de 1950, mas só foi inaugurada em 1958, no Governo Juscelino Kubitschek. Durante a campanha presidencial, JK teria feito um comício no povoado de Paulo Afonso, quando foi abordado por um cidadão que, no meio da multidão, questionou o futuro presidente se iria terminar a ponte. JK confirmou que faria isso e a ponte foi construída e inaugurada em seu governo (Fonte: Folha Sertaneja).

Nesta ponte, a vista do Rio São Francisco e do seu Cânion é simplesmente impressionante e indescritível. De longe, conseguimos ver as instalações da usina Paulo Afonso IV e da Chesf, que não é possível ver da cidade. No Cânion, há pequenas cachoeiras bem como escadarias (com muitos degraus), por onde você pode chegar até o leito do Velho Chico. Confira nosso vídeo no Tik Tok, clique aqui.

A ponte costumava ser local de prática de esportes radicais, tais como,  Bungee Jump, rapel e até mesmo os voos jump. Conhecida por essas práticas, a ponte chegou a ser locação de um comercial da Pepsi em espanhol (veja aqui). Esse comercial nunca chegou a passar na TV brasileira.

Entretanto, hoje em dia não é mais recomendável fazer esportes radicais. A ponte carece de manutenção pelo poder público. Há placas e grades soltas, além de preocupação com a segurança da ponte (veja aqui). Apesar de muitas reclamações, o DNIT parece não ter resolvido os problemas (veja aqui). Ademais, ela balança bastante com o tráfego de veículos. Portanto, é bom ter cuidado ao caminhar por ela.

Igreja de São Francisco de Assis

Igreja São Francisco de Assis, Paulo Afonso
Igreja São Francisco de Assis, Paulo Afonso

A Igreja de São Francisco de Assis foi a primeira igreja católica de Paulo Afonso. Inaugurada em 1950, foi construída pelos operários da Chesf com pedras retiradas da própria construção da usina.  Seu estilo românico moderno, no alto de uma colina, a torna uma visita obrigatória para quem conhece Paulo Afonso.

A igreja é pequena, aconchegante e, acima de tudo, bonita. Com 90 m², comporta apenas 80 pessoas nos seus bancos de madeira. Na parede sobre o altar, encontramos um medalhão de São Francisco de Assis. Trata-se de uma cópia da obra de Alejadinho exposta na igreja homônima de Ouro Preto/MG.

Mas, o que mais me chama a atenção, é a base da igreja – toda revestida em pedras. As pedras estão inclusive no entorno das portas e das pequenas janelas de madeira. Sobem até o teto da igreja, mas apenas nos seus cantos. Ficou belíssimo!

A igreja é palco de muitas celebrações e eventos. Já foi inclusive visitada por diversos personagens ilustres, como o Bispo Dom Helder Câmara e o Presidente Getúlio Vargas. Em 2015, a Igreja foi tombada por lei municipal. O tombamento obriga que sejam mantidas suas características originais, preservando, assim, a história de Paulo Afonso.

Há um estacionamento em frente à igreja. Você pode visitá-la em 10 minutos, mas, se quiser, pode ficar mais tempo apreciando essa incrível obra de arte.

Monumento O Touro e a Sucuri

O Monumento O Touro e a Sucuri, Paulo Afonso, Bahia
Monumento O Touro e a Sucuri, Paulo Afonso

O Monumento “O Touro e a Sucuri” é um ícone na cidade de Paulo Afonso e um dos pontos turísticos mais visitados. Trata-se de uma escultura de bronze que faz alusão às transformações ocorridas para a construção do complexo hidrelétrico de Paulo Afonso, em especial, o desvio do curso do Rio São Francisco. O Touro representa a natureza, enquanto a Sucuri representa o esforço do homem para dominá-la, utilizando a técnica e a engenharia. A sucuri atinge o touro em seu ponto mais sensível: a boca.

A escultura é do artista baiano Dioclesiano Martins de Oliveira, inspirada no poema “A Cachoeira” de Castro Alves, cuja quarta estrofe encontra-se num mural ao lado:

Assim dir-se-ia que a caudal gigante
Larga sucuruiúba do infinito
Coas escamas das ondas coruscante
Ferrara o negro touro de granito!
Hórrido, insano, triste, lacerante
Sobe do abismo um pavoroso grito
E medonha a suar a rocha brava
As pontas negras na serpente crava!”

O monumento foi inaugurado em 1960, no dia do trabalhador, e foi revitalizado em 2018. Está situado numa pequena praça às margens do Lago da Aurora e do Parque Balneário, espaços agradáveis de lazer em Paulo Afonso.

Serra do Umbuzeiro

Vista do topo da Serra do Umbuzeiro, Paulo Afonso
Vista do topo da Serra do Umbuzeiro, Paulo Afonso

A Serra do Umbuzeiro é um morro de 563 metros, localizado no município de Paulo Afonso, no estado da Bahia. Com belíssimas formações geológicas e uma vista de 360° da região, é uma atração que não pode faltar no seu roteiro pelo sertão baiano. Está localizada no povoado Riacho, às margens da BR-110, distante 20 km do centro de Paulo Afonso.

Para subir à Serra do Umbuzeiro, pegamos uma trilha moderada, relativamente curta, sem subidas muito íngremes. Além da incrível vista, o turista pode aprender sobre a flora local e as histórias do cangaço.

Escrevemos um post específico sobre a Serra do Umbuzeiro, leia aqui.

Passeios de Barco pelo Rio São Francisco

Rio São Francisco, Vista da Ponte D. Pedro II, Paulo Afonso
Rio São Francisco, Vista a partir da Ponte D. Pedro II

São vários os passeios de barco que podem ser contratados em Paulo Afonso, cuja duração varia de 3 a 6 horas. A grande maioria dos passeios te leva a conhecer os incríveis paredões cinematográficos de 105 m de altura do Cânion do São Francisco.  Geralmente, o passeio também inclui uma parada para banho.

O que diferencia os passeios são as atrações associadas à visita do cânion, que pode ser: a gruta do Talhado, o Complexo do Castanho, Grota do Angico e o Eco Parque.

Existe também um passeio para a Ilha de Rarrá. São dunas de areias envolvidas por praias de aguas cristalinas, lindíssimas. Se tiver tempo sobrando, vale a pena conhecer!

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It