A Cachoeira da Fumaça, localizada no município de Palmeiras/BA, é uma das principais atrações da Chapada Diamantina, recebendo em torno de 25 mil visitantes ao ano, segundo o Icmbio.

Sua queda d’água de 380 metros, incrustada em meio a paredões gigantescos, é considerada a sexta mais alta do Brasil, segundo o projeto Cachoeiras Gigantes (ref. out/2021).

Entretanto, entre as 5 primeiras classificadas, o acesso é extremamente complicado. Visitar a primeira colocada, por exemplo, a Cachoeira da Neblina (450m), no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ), requer uma expedição de quase 10 dias, num ambiente extremamente inóspito.

Dessa forma, podemos dizer que a Cachoeira da Fumaça é, dentre as maiores cachoeiras do Brasil, a que possui o acesso mais fácil aos turistas, embora não seja tão fácil assim, conforme vocês lerão a seguir.

Apenas por curiosidade, a maior cachoeira do mundo é a Salto Angel, na Venezuela, com seus inacreditáveis 979 metros. Uma expedição para conhecê-la tem duração média de 6 dias.


Sobre a Chapada Diamantina, leia também:


Como visitar a Cachoeira da Fumaça?

A Cachoeira da Fumaça está localizada no chamado Vale do Capão, cujo centro fica a apenas 3 km da entrada da trilha para a cachoeira. O vale ainda carece de infraestrutura para o visitante. É claro que existem boas pousadas e restaurantes, mas são poucas opções, além de ter um acesso ruim e uma vibe mais “bicho-grilo”, que não agrada a todos.

A outra cidade mais próxima é Lençóis, o principal polo da Chapada Diamantina, que tem uma infraestrutura ótima para receber o turista e algumas agências que organizam o  tour para você.

Nós fizemos esse passeio com a Zentur e recomendamos. A agência, localizada na Praça dos Nagôs, logo após a ponte sobre o Rio Lençóis, tem mais de 20 anos de experiência em tours na Chapada Diamantina. Em seu site são oferecidos trekkings, experiências de aventura como rappel e escalada, além de roteiros de mais de um dia, como por exemplo, os roteiros de 3-5 dias pelo Vale do Pati.

Zentur, Lençóis, Passeios na Chapada Diamantina
Sede da Zentur em Lençóis/BA

No site da Zentur você pode ver as opções e fazer uma pré-reserva. Posteriormente, receberá um e-mail da agência com todas as informações e orientações para o pagamento do sinal. No nosso caso, toda a nossa comunicação foi por whatsapp (+55 75 9955 9482). A Tialle estava sempre disponível para tirar as nossas dúvidas e nos ajudar a adequar nossos desejos à nossa condição física e aos caprichos da natureza (pela chuva, alguns passeios não estavam sendo operados).

Definimos com a Tialle os tours que faríamos porém, a programação final, só nos foi entregue uns 7 dias antes da viagem pois, como é necessário a formação de grupos, eles precisam ter essa flexibilidade de datas, mas todos os passeios ocorreram. No site tem um calendário com as saídas já confirmadas.

No dia anterior ao passeio passamos na agência para assinar a papelada do seguro (Ecotrip), item fundamental, pois, em turismo de aventura, estamos sempre sujeitos aos caprichos da natureza.

O Passeio à Cachoeira da Fumaça

1. Início do tour

No dia agendado, nos encontramos na frente da agência às 8h30. Importante sair cedo pois demora-se pouco menos de 2 horas para percorrer os 80 km de estrada (60 km de asfalto + 20 km de terra) até o início da trilha.

Sede da ACVVC
Sede da Associação dos Condutores do Vale do Capão (ACVVC)

No início da trilha, está a sede da Associação dos Condutores do Vale do Capão (ACVVC). Não é necessário pagar entrada mas, é solicitado uma doação, uma vez que as pessoas que estão lá são socorristas e brigadistas voluntários. Em média, doa-se  entre R$5 e 10 por pessoa.

Solicita-se também o preenchimento de alguns dados pessoais e horário de entrada. É uma forma de eles garantirem que todos que subiram a trilha efetivamente retornaram.

  • Fique atento: a entrada é permitida só até 13h.

Aproveite para ir ao banheiro, pois é o único que você encontrará nas próximas 5 ou 6 horas de caminhada.

Detalhe da decoração da sede da ACVVC
Detalhe da decoração da sede da ACVVC

Nosso grupo possuía 9 pessoas e 2 guias. Isso é muito importante numa trilha com esse nível de dificuldade, pois cada um pode caminhar no seu próprio ritmo. É claro que ficamos no time do fundão, com o guia Ítalo, que, segundo ele, por ser o mais gordinho e gostar de falar amenidades, ficava sempre por último!

2. A trilha

Alguns metros após a sede, iniciamos a subida. São 2 km de subida íngreme, por entre pedras, dividida em 3 patamares. O primeiro trecho a ser vencido tem 800m, seguido de um mais curto de 400m, extremamente inclinado e desnivelado e finalmente mais 800m de pedras escorregadias.

Nos contaram que alguns trechos mais difíceis foram “melhorados” para facilitar a subida do gado que era levado para pastar na parte plana da trilha (os gerais).

Subida íngreme, trilha da Cachoeira da Fumaça
Subida íngreme, trilha da Cachoeira da Fumaça

Confesso que essa subida de mais de 1 hora foi extenuante. São 3 paradas programadas, mas paramos umas 10 vezes para conseguir cumprir o trajeto! Procuramos fazer tudo de forma tranquila, sem pressão dos guias para que corrêssemos ou alcançássemos o grupo da frente.

MIrante, Trecho de Subida, Cachoeira da Fumaça, Chapada Diamantina
Mirante na trilha para a Cachoeira da Fumaça. Ao fundo, o Vale do Capão.

Quando chegamos à parte plana e recuperamos o fôlego, fomos arrebatados por uma visão incrível do Vale do Capão, que já nos faz esquecer parcialmente o esforço da subida.

Trilha para a Cachoeira da Fumaça
Trilha para a Cachoeira da Fumaça

Depois de muitas fotos, continuamos em frente por mais 4 km, num trajeto relativamente plano, mas com muitos obstáculos. No início, há uma vegetação baixa (é possível apreciar cactus e bromélias) e um solo arenoso, muitas vezes enlameado e escorregadio.

Depois, a vegetação torna-se um pouco mais alta e o solo continua ainda mais encharcado.

Trilha para a Cachoeira da Fumaça, Chapada Diamantina
Trilha para a Cachoeira da Fumaça (trecho plano)

Todo o trajeto nos brinda com um visual panorâmico das montanhas e vegetação típica. Existem algumas bifurcações que podem deixar o turista sem guia um pouco preocupado. Por isso e pelo risco de acidentes, recomendo fazer o passeio acompanhado de um guia, mesmo não sendo obrigatório. No nosso caso, os guias já faziam parte do pacote da Zentur.

Rio de Cor Ferrugem, Cachoeira da Fumaça, Chapada Diamantina
Rio de Cor Ferrugem, Cachoeira da Fumaça

Na chegada, é necessário atravessar um riozinho de águas cor ferrugem (típico da região) que pode estar mais ou menos caudaloso. No nosso caso, conseguimos atravessar tranquilamente pisando por cima de algumas pedras.

Depois de 1h30, finalmente, chegamos ao mirante da Cachoeira da Fumaça. Fizemos uma parada para comer o lanche que foi preparado pela Zentur e nos foi entregue no início do passeio. O lanche estava delicioso. Ou será que era a fome? De qualquer forma, comemos 2 sanduiches (pão francês com recheio de frango ou presunto e queijo), um suco de abacaxi, 2 bananas, uma farofa e alguns docinhos.

Almoço no mirante da Cachoeira da Fumaça
Almoço no mirante da Cachoeira da Fumaça

A grande surpresa do almoço ficou por conta de um senhor que vendia refrigerante e pastel de jaca lá no mirante. Há anos ele faz esse caminho extenuante, carregando isopor com bebidas e gelo todos os dias, para que você possa tomar uma coca geladíssima. E pasmem: Coca-cola por R$ 10. Confesso que teria pago até R$ 20 e de bom grado!

Todos alimentados, formamos uma fila para apreciar a atração principal. Um a um vamos nos aproximando do cânion. É obrigatório agachar e se aproximar da beirada, até onde sua coragem permitir, deitado, para minimizar o risco de acidentes.

3. O mirante da Cachoeira da Fumaça

Esteja pronto para sentir toda a energia da natureza. O mirante fica a 420 metros do poço. É de tirar o fôlego! Você aprecia aquela coreografia mágica entre o vento e água da cachoeira caindo de 380 metros e dançando entre os paredões rochosos. Com certeza você se esquecerá de todo o esforço da caminhada para chegar até lá.

Cachoeira da Fumaça
Cachoeira da Fumaça vista do mirante.

A cachoeira da Fumaça recebe esse nome porque as gotículas de água se dispersam com o vento antes de chegar ao solo, dando a sensação da formação de uma cortina de fumaça. Alguns sortudos podem ser agraciados com um arco-íris nesse cenário mágico. Quando venta forte, também é possível sentir os respingos no rosto.

Turistas tirando foto no Mirante da Cachoeira da Fumaça, Chapada Diamantina
Turistas tirando foto no mirante

Achei a vista linda e incrível, mas, o abismo é tão grande, que não me senti confortável de ficar lá muito tempo. Tirei algumas fotos e voltei para onde me sentia mais segura. É típica e emblemática a foto dos turistas na pedra, como se estivessem voando.

O magnetismo do abismo é tão forte que, infelizmente existem alguns relatos de suicídios nessa paisagem incrível. Todo cuidado é pouco!

Cachoeira da Fumaça, vista lateral
Cachoeira da Fumaça, vista lateral

Retornando um pouco e virando à esquerda, há outro mirante, repleto de pedras e mais seguro, onde você tem uma vista lateral da cachoeira em toda a sua dimensão e  esplendor.

4. O retorno

O retorno demorou também cerca de 2 horas e meia. A parte plana é bastante tranquila, porém, os 2 km de descida exigem muita atenção. As pedras são um pouco escorregadias (pela areia que fica em cima delas) e deve-se ter cuidado para não lesionar o joelho ou o tornozelo.

Lanchonete na base da trilha da Cachoeira da Fumaça
Lanchonete na base da trilha da Cachoeira da Fumaça

Logo após a sede da associação, há algumas vendinhas que oferecem bebidas e petiscos como coxinha e pastel.

A Cachoeira do Riachinho

Cachoeira do Riachinho
Cachoeira do Riachinho

Como não é possível se banhar na Cachoeira da Fumaça, a maioria das pessoas faz uma parada na Cachoeira do Riachinho, para relaxar um pouco antes de encarar os 80 km de estrada de volta para Lençois.

A Cachoeira do Riachinho está localizada no caminho de volta para Lençóis, a 4 km do início da trilha para a Cachoeira da Fumaça.

A entrada para a cachoeira custa R$ 12 (no nosso pacote já estava inclusa) e você desce uma escada de madeira com cerca de 100-150 degraus. A cachoeira é pequena, com aguas de cor ferrugem e não tão gelada. Vale a pena ficar uns 10 min por lá.

Recomendo usar aquelas sapatilhas aquáticas para não machucar o pé. O poço da cachoeira é cheio de pedras, algumas grandes, outras pequenas, e nem todas você consegue ver de através da água. Vá com cuidado!

Dicas Essenciais

  • A trilha é feita pela parte de cima da Cachoeira da Fumaça. Não se confunda! Para conhecer a parte de baixo, a trilha tem 36km e dura 3 dias.
  • Use calçado adequado – cuidado com o tênis do dia a dia que já pode ter perdido a aderência. Antes de viajar, compramos um calçado com aderência nível 3 que nos atendeu muito bem.
  • Leve pelo menos 2 litros de água por pessoa, principalmente se o sol estiver forte.
  • Abuse do protetor solar e não esqueça seu boné.
  • Use repelente.
  • Leve dinheiro trocado para dar uma contribuição voluntária à ACVVC e para comprar uma Coca-Cola gelada ou um pastel de jaca lá no mirante.
  • Em épocas de estiagem, a cachoeira pode estar seca e perderá parte do seu encanto. Avalie se vale a pena.
  • Evite bebida alcoólica no dia anterior e tenha uma boa noite de sono.




Em Resumo:

A Cachoeira da Fumaça é linda e todo o cansaço do trekking é recompensado no final! Portanto, se você tem algum preparo físico, não deixe de incluí-la no seu roteiro.

  • Dificuldade: intermediária com uma subida bem pesada.
  • Distância: 12 km (6 km de ida e 6 km de volta), sendo 2 km de subida (e de descida) íngreme por pedras.
  • Tempo: passeio de um dia inteiro. Além das 2 horas de carro,  você vai gastar cerca de 1 hora para vencer os 2 km de subida e mais 1h30m para os outros 4 km no terreno plano. O tempo de volta é aproximadamente o mesmo.
  • Preço: não é cobrada a entrada no atrativo, mas você pode colaborar com a ACVVC. Seu custo será com transporte e guia. Na Zentur, agência que recomendamos, o passeio sai por R$ 240 por pessoa.
  • Guia: não é obrigatório, mas altamente recomendado.
  • Cidade base: Lençois (80km); Capão – nome oficial Caeté-Açu (3km).

Disclaimer: Fizemos esse tour a convite da Zentur. Todas as informações contidas neste artigo refletem fielmente a minha real experiência. 

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

Escreva seu Comentário

Pin It