Gruta Lapa Doce: uma encantadora caverna na Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina, na Bahia, possui mais de 130 grutas mapeadas e cadastradas só nos municípios de Seabra, Palmeiras e Iraquara. Entretanto, atualmente, apenas seis, dentre essas grutas, são exploradas turisticamente: Gruta Lapa Doce, Torrinha, Fumacinha, Pratinha, Gruta Azul e a Gruta do Lapão, esta última, esculpida em arenitos (fonte: [1]).

Além da incrível beleza natural dessas grutas, elas também representam um importante sítio arqueológico, um registro da pré-história, uma vez que em seu interior já foram encontrados hieróglifos, fósseis e cerâmicas.

As duas maiores grutas do Brasil  também estão localizadas no estado da Bahia, no município de Campo Formoso. A maior delas tem uma projeção horizontal de 114 mil metros (ref. ago/2019 – fonte [2] ).


Sobre a Chapada Diamantina, leia também:


O que são cavernas?

As cavernas são um complexo de canais horizontais e/ou verticais que se desenvolvem no interior de rochas formando paisagens belíssimas que encantam qualquer visitante. São ecossistemas frágeis e delicados, sendo fundamental sua preservação.

Segundo os dados do CECAV-Icmbio (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas do Icmbio), em 2020 havia 21.505 cavernas catalogadas no Brasil, embora se acredite que esse número seja bem maior.

Estalagmite na Gruta Lapa Doce
Estalagmite na Gruta Lapa Doce

Os registros do CECAV mostram que quase 50% das cavidades naturais encontram-se em biomas de cerrado e que 61,65% dessas cavernas estão de alguma forma associadas às bacias do Rio São Francisco e do Rio Tocantins.

Espeleologia: ciência voltada ao estudo de cavernas. Essa ciência busca conhecer e estudar a formação geológica das cavernas, o meio ambiente onde estão inseridas, as formas de vida que as habitam, as características e as formas de preservação (fonte:[3]).

Como se formam as cavernas?

As cavernas formam-se principalmente pela dissolução das rochas, que, na sua maioria, são compostas por carbonato de cálcio (existem também cavernas de arenito, basalto e minério de ferro, entre outros). O calcário é uma rocha com muitas fraturas. A ação dos ventos, das chuvas, dos rios e da vegetação vai agravando essas erosões e alargando as aberturas já existentes. A formação das cavernas é um processo muito lento e contínuo.

Estalactite na Gruta Lapa Doce
Estalactite na Gruta Lapa Doce

Dependendo de algumas características como tamanho da sua abertura, comprimento horizontal ou vertical, essas formações podem ser chamadas de abrigo, toca, gruta, fosso ou abismo.

Gruta ou lapa é uma caverna predominantemente horizontal, com mais de 20 metros de comprimento, podendo ter desníveis internos e salões.

O Passeio à Gruta Lapa Doce

A Gruta Lapa Doce está localizada em um complexo chamado Lapa Doce, no município de Iraquara, na Chapada Diamantina. Saindo da cidade de Lençóis/BA, é necessário pegar a BR-242. Siga por aproximadamente 54 km e faça uma curva à direita para a BA-122. Após 14 km, vire à esquerda nas placas indicativas de Gruta Lapa Doce. Percorra 1 km até uma bifurcação onde deverá virar à direita. Após cerca de 1 km, você avistará a entrada do atrativo.

Recepção da Gruta Lapa Doce
Recepção da Gruta Lapa Doce

As grutas ficam em uma fazenda particular que é responsável pela exploração e manutenção do local. Na recepção, é necessário escolher o passeio entre as 3 principais opções: Roteiro I, Roteiro II e a Gruta Lapa do Sol. Recentemente, foram realizadas novas descobertas de fósseis e um poço, o que deu origem a um outro trajeto turístico.

A Caverna Lapa Doce II é a quarta maior caverna do Brasil com 16.500 metros de projeção horizontal.

Fizemos o passeio mais comum: o Roteiro I, que tem 20 km mapeados porém apenas 850m abertos a visitação. Pagamos R$ 40 por pessoa (preço a partir de 3 pessoas) o que dava direito ao tour acompanhado de um guia local e uma lanterna. Para quem estiver sozinho, o preço é R$ 80 e, em dupla, R$ 50 por pessoa.

O Roteiro II avança mais 500 metros dentro da Caverna Lapa Doce. Os valores são: R$ 100 (1 pessoa), R$ 140 (2 pessoas) ou R$ 60 por pessoa (grupos com mais de 3 pessoas).

Ainda é possível fazer o roteiro Gruta Lapa do Sol para visitar as pinturas rupestres. Nesse caso, o ingresso é R$ 40 (1 pessoa) ou R$ 25 a partir de 2 pessoas.

Em qualquer um dos roteiros, crianças de até 5 anos não pagam e as de 5 a 10 anos pagam meia entrada.

Atenção: É obrigatório o uso de sapato fechado para fazer o passeio. Caso esqueça, é possível alugar um par na propriedade.

Suculenta à venda na entrada da Gruta Lapa Doce
Suculentas à venda na entrada da Gruta Lapa Doce

No local, há também um restaurante, um viveiro de suculentas e uma loja que vende souvenirs e alguns exemplares de plantas nativas.

O caminho até avistarmos a entrada da gruta é curto, plano e com algumas áreas sombreadas, entretanto, logo em seguida, é necessário descer uma trilha íngreme e algumas escadas (70 metros de desnível). Por ser uma descida, não achei difícil!

Entrada da Gruta Lapa Doce
Entrada da Gruta Lapa Doce

Chegando à entrada, prepare-se para ficar embasbacado com o tamanho da abertura na rocha. Sabe aquele imagem que temos de uma gruta, como sendo um lugar apertado e amedrontador? Esqueça! Você vai perceber que a Gruta Lapa Doce possui salões muito amplos e altos. Seu maior salão tem 60 metros de largura.

Ao entrarmos na gruta, o guia nos pediu que aguardássemos alguns segundos para que nossos olhos pudessem se adaptar à ausência de luz.  É um momento mágico poder curtir o silêncio e a escuridão. Depois disso, somos autorizados a usar nossas lanternas para explorarmos todos os detalhes desse lugar magnífico.

Grupo com lanternas acesas na Gruta Lapa Doce
Grupo com lanternas acesas na Gruta Lapa Doce

É importante ressaltar que o trajeto é todo delimitado. Existem cordas que impedem a aproximação às obras da natureza ou mesmo  o toque.

Tenho a certeza que se encantará com as estalactites, estalagmites e colunas. Estima-se que sejam necessários de 30 a 40 anos para que apenas 1 cm dessas estruturas seja formado. Há informes de que, se tocarmos essas estruturas, retardamos em mais de 300 anos sua formação.

Coluna na Gruta Lapa Doce
Coluna na Gruta Lapa Doce
  • Estalactites: são formadas por gotas provenientes de fendas no teto da caverna. A “água” da gota cai, mas o carbonato de cálcio fica aderido à rocha. O processo se repete e vai surgindo uma estrutura cilíndrica, de cima para baixo.
  • Estalagmites: formam-se de modo similar. A gota que cai ainda carrega consigo um pouco do sal. A água evapora e o carbonato de cálcio se acumula, formando uma estrutura que cresce, dessa vez, de baixo para cima.
  • Colunas: geralmente, para cada estalactite há uma estalagmite. Ao longo de milhares de anos, quando elas se encontram, formam uma coluna.

Não vimos nenhum animal nessa caverna, embora seja comum nesse tipo de ecossistema a presença de morcegos e aranhas. Recentemente, foi descoberto o fóssil de uma preguiça gigante. Vimos apenas o local onde estava a ossada da cabeça do animal.

Subida para sair da Gruta Lapa Doce, Chapada Diamantina
Subida para sair da Gruta Lapa Doce

Para sair da caverna, é necessário subir uma escadaria bem desafiante. Guarde fôlego! Lá no topo,  há uma pequena lanchonete e pessoas vendendo sucos. Experimentei o de maracujá selvagem (R$ 5) e estava delicioso.

A maioria das pessoas volta a pé até a recepção. Felizmente, nosso guia foi nos pegar nessa saída, permitindo-nos economizar vários passos.

Após o término dessa visita, existem várias opções para se preencher o restante do tempo. Muitas pessoas visitam outras grutas ou a Pratinha que, durante nossa viagem, estava fechada. Outras pessoas, combinam com o Poço do Diabo e o Morro do Pai Inácio. Na verdade, pode-se combinar esse tour com qualquer outro de meio período. Sugerimos o Ribeirão do Meio ou o Parque da Muritiba se ainda não os tiver conhecido.

Resumo

A Gruta Lapa Doce, localizada no município de Iraquara/BA, é uma excelente atração, de fácil acesso, para quem quer conhecer as formações geológicas da Chapada Diamantina.

  • Dificuldade: leve, entretanto a subida na saída da gruta é bem puxadinha. A atração não é recomendada para quem tem dificuldade de locomoção.
  • Distância: 1,5 km dentro da caverna (outros passeios têm uma distância maior).
  • Tempo: passeio de meio dia. O tour pela caverna dura 1h30. Pense em combiná-lo com o Ribeirão do Meio , Parque da Muritiba , Morro do Pai Inácio ou ainda outras grutas e cachoeiras.
  • Preço: depende do tour escolhido. O passeio mais comum custa R$ 40 por pessoa em grupos de até 12 pessoas.
  • Horário: 8h às 18h.
  • Guia: não é necessário guia para chegar até o atrativo, entretanto, o passeio na gruta é guiado (guia já incluso no ingresso).
  • Cidade base: Lençóis (70 km), Palmeiras (30km), Iraquara (10km).

Luciana Mardegan

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Press ESC to close

Enviando dinheiro para a Argentina via Western Union Buenos Aires: comendo bem e barato