O que fazer em Atlanta? 3 dias na cidade de Martin Luther King

Atlanta, no estado da Geórgia, é uma das principais metrópoles do sul dos Estados Unidos. É a cidade-natal de Martin Luther King, um dos principais líderes da luta pelos direitos civis e contra a segregação racial nos EUA. Além disso, é sede de algumas das mais conhecidas marcas americanas, tais como, a CNN – Cable News Network e a Coca-cola.

Em 2015, passei três dias nessa incrível cidade e conto como foi a minha experiência. Confira!

Como chegar a Atlanta?

Depois de um voo tranquilo de 8 horas partindo de Brasília (Delta Airlines), chego a Atlanta. A viagem foi adquirida com milhas Smiles (35 mil milhas Smiles por trecho).

  • Infelizmente, a Delta não mais opera voos a partir de Brasília (BSB), passando a operar, tão somente, voos diretos a partir de Guarulhos (GRU) e do Aeroporto do Galeão (GIG) no Rio de Janeiro.

Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson (ATL), de Atlanta, é considerado o aeroporto mais movimentado do mundo. É o principal hub da Delta Airlines, que, por sua vez, é a maior companhia aérea do mundo em número de passageiros transportados.

O aeroporto dispõe de 2 terminais, um doméstico e outro internacional. Além destes terminais, o aeroporto dispõe de 7 “concourses” (saguões), que estão situados entre estes dois terminais (concourses A-F e T). Os “concourses” A-D e T são usados para voos domésticos e os E-F são usados para voos internacionais. PaAtra você se deslocar entre os terminais e os concourses, você pode utilizar um trem automático, denominado “The Plane Train”.

Imigração

A imigração foi rápida (uns 15 min), mas me fizeram muitas perguntas. Como tinha um carimbo de entrada na Turquia no passaporte, a agente da imigração me fez diversas perguntas sobre o motivo da visita, se havia feito treinamento militar lá, etc.

Como se deslocar em Atlanta?

MARTA, Atlanta
Sistema de Transporte Metropolitano – MARTA

Na saída A2, peguei o shuttle que me levou ao terminal doméstico (demora uns 7- 10 min), onde foi possível pegar o MARTA, o sistema de transporte público metropolitano de Atlanta, que envolve tanto trens como corredores de ônibus.

Compre seu ticket em uma das máquinas (aceita dinheiro, moedas e cartão). Você pode optar pela quantidade de trajetos ($2,50 dólares por trecho) ou comprar o passe por dia (1 dia – 9 USD , 2 dias – 14 USD). Na primeira compra você vai pagar 1 dólar pelo cartão.

O Cartão (breeze) é válido tanto no MARTA quanto nos ônibus. Veja abaixo o mapa do metrô. Vale ressaltar que Atlanta não é uma cidade para pedestre. É tudo longe e de difícil deslocamento.

Dia 1

Desci na estação PeachTree, região na qual se localizam a maioria dos hotéis e as principais atrações turísticas. Foram aproximadamente 3 quarteirões até o meu hotel. Como cheguei muito cedo, deixei a mala no hotel e fui caminhar.

Centennial Olympic Park

Todas as atrações abriam apenas as 9 horas (durante a semana a maioria abre às 10hs), por isso fiquei caminhando pelo Centennial Olympic Park que é o miolo do quarteirão. O Parque tem menos de 2 décadas de existência e foi criado para que os turistas pudessem aproveitar dessa área verde durante os jogos olímpicos de 1996.Anteriormente, era uma área decadente de Atlanta.

Não pude ficar muito tempo, pois estavam fechando o parque, pois haveria um evento privado no local.

Atlanta City Pass

Iniciei meu city tour pela CNN. Lá mesmo adquiri meu Atlanta City Pass.  O passe pode ser comprado em qualquer das atrações ou pela internet – o preço é o mesmo. O Atlanta City Pass é um passe com o qual você pode visitar as principais atrações de Atlanta, com desconto (valor do City Pass é 75 dolares e, se fosse comprar as atraçoes separadamente seria 120 dólares)

As atrações contempladas são:

  • Georgia Aquarium;
  • World of Coca-Cola;
  • Inside CNN Studio Tour;
  • Zoo Atlanta ou Center for Civil and Human Rights;
  •  FernBank Museum of Natural History ou College Football Hall of Fame.

Fique atento: você tem que trocar o seu City Pass pelo ticket, mas não destaque a folha do bloco, caso contrário ele não é aceito.

Inside CNN Studio Tour

Inside CNN Studio Tour, Atlanta, Estados Unidos
Inside CNN Studio Tour, Atlanta

A bilheteria abriu umas 8:40hs e consegui pegar o tour das 9. Os tours são feitos em grupos de aprox. 20 pessoas, começam a cada 10 min e duram 1 hora. Como é necessário descer 8 andares de escada, caso você tenha alguma dificuldade de locomoção, fique atento pois existem tours específicos para você.

Após a vistoria de praxe, você sobe a maior escada rolante do mundo em vão livre (essa que entra no globo) com 60 metros e lá em cima aguarda para o início do tour.

Começamos com um filme breve sobre a história da CNN e aprendemos, em tempo real, como é a escolha das tomadas que irão ao ar, e as movimentações dos bastidores.

A próxima parada é num estúdio em que conhecemos algumas tecnologias como o Teleprompter (local onde os ancoras leem a matéria, entretanto, parece que estão fazendo contato visual com o telespectador). Aprendemos um pouco sobre o cenário utilizado para a previsão do tempo, que na verdade, é uma tela verde em que o apresentador consegue apenas apontar regiões inespecíficas, pois não vê o mapa.

Seguimos para um estúdio em que estava havendo a transmissão do noticiário matinal e passamos pela sala de redação e edição.

Finalizamos passando pela CNN internacional, HLN e CNN en Español, todas no mesmo prédio. Apenas por curiosidade, a CNN internacional tem estúdios em outros países (Hong Kong, London e Abu Dhabi, por exemplo).

Além do Inside CNN Studio Tour, que está incluso no CityPass, a CNN ainda possui dois outros tipos de visita: o Morning Express Tour e o Vip Tour.

Georgia Aquarium

Georgia Aquarium, Atlanta, Estados Unidos
Georgia Aquarium

Saindo de lá fui conhecer o Georgia Aquarium. Dizem ser o maior aquário do mundo com quase 30 milhões de litros de água doce e salgada. Não sou uma grande apreciadora desse tipo de entretenimento, mas, como estava incluso no City Pass, aproveitei para conhecer.

Minha visita durou umas 2 horas (acredito que, para quem vai com crianças, pode ser um passeio de meio dia). Existe uma praça de alimentação, loja de souvenirs e um filme 3D engraçadinho!

Do atrium do aquário, existem 5 galerias, cada qual com seu ecossistema.

  • Georgia Explorer: perfeito para crianças, é uma área com playground e muita interatividade… não posso dizer muita coisa pois passei rápido por ali!
  • River Scout: diversos peixes de água doce do mundo inteiro.
  • AT&T Dolphin Tales: a entrada para o show dos golfinhos fica ao lado do Cold Water Quest. O ticket para o show já esta incluso no ingresso, mas você deve reservar o lugar com antecedência, por isso recomendo que o faça logo que entrar no parque.
Georgia Aquarium, Atlanta, Estados Unidos
Georgia Aquarium, Atlanta

O primeiro show estava marcado para as 13:00hs e eu não pretendia ficar lá até esse horário, por isso não assisti! Ouvi dizer que dura uns 30 minutos e que é excelente. Me contentei com uma mini-apresentação que ocorre pela manhã e no final da tarde.

  • Cold Water Quest: é a casa dos animais de águas geladas como as lontras e as baleias, além de uma área para os pinguins. Para crianças, existem túneis nos quais você pode se posicionar para tirar fotos como se estivesse com os animais. Mas eu estava sozinha e não consegui tirar.
  • Ocean Voyage: Essa galeria é enorme e você se sente no fundo do mar. É o maior aquário de água salgada com mais de 50 espécies de peixes, convivendo harmonicamente com os gigantescos tubarões e arraias… é realmente impressionante!
  • Tropical Diver: Nessa ala, você vai encontrar aquele monte de peixinhos coloridos (Nemo e toda a sua turma), além de cavalo-marinho e as águas-vivas que me deixaram fascinada.

O Mundo da Coca-Cola

The World of Coca-Cola, Atlanta, Estados Unidos
The World of Coca-cola

Fechei o dia no Mundo da Coca-Cola. Localizado ao lado do aquário, é um museu interativo que conta a história da Coca-Cola, sem revelar o seu segredo, é claro!

A visita começa em um lobby com exposição de garrafas de Coca-Cola em tamanho gigante de modo a homenagear vários países. Seguimos para um segundo ambiente com mais de 200 objetos de várias origens (propaganda, copos, artefatos), de ontem e de hoje, dando ao visitante uma pitadinha dos 125 anos da história da Coca Cola.

No anfiteatro assistimos um filme promocional (de muito bom gosto) que dura 6 min e segundo o guia, celebra alguns dos momentos mais memoráveis experienciados por pessoas de diferentes idades e cultura por todo o mundo.

A partir desse momento, você é o seu próprio guia, podendo passear por várias salas. Uma delas contém atividades interativas para criança, que culmina com o cofre onde dizem estar guardada a fórmula secreta da Coca Cola em outra, você pode tirar foto com o Urso fofo da marca (é claro que é comprada no final!)

Na galeria Milestones of Refreshment, você encontra toda a história da companhia, numa outra você assiste ao envazamento da Coca Cola e, ainda, pode passar algum tempo assistindo a peças publicitárias antigas em um teatro.

Sempre há um tipo de exposição temporária nos corredores. Quando eu visitei eram as garrafinhas ornamentadas em homenagem aos países. Ah, me esqueci do teatro 4D. Uma historinha bobinha e divertida. Vale a pena!

Finalmente, a parte mais esperada: a degustação de produtos Coca Cola ao redor do mundo. Sabe aquelas máquinas de refrigerante, então, você as tem divididas pelos continentes e pode experimentar quantas e na quantidade que quiser. Confesso que achei todas muito, mas muuuuuuito, ruins mesmo! Fiquei feliz quando encontrei a máquina com a bebida Kuat, que temos no Brasil, pois, até que enfim, iria tomar algo que gostava. Ledo engano: achei horrorosa também!

É bastante interessante essa parte, e vale dizer que tem a Coca-Cola como a conhecemos e água também!

Ao final da visita, você ganha uma garrafinha de Coca-Cola e já está pronto para entrar na loja de souvenirs.

Fim do dia! Hora de voltar do hotel e descansar.

Dia 2

Sweet Auburn

No segundo dia, fui conhecer um pouco mais sobre Martin Luther King. O Pastor, que mudou a história dos EUA, liderando movimentos pacíficos pelos direitos civis e dos negros, nasceu num bairro de Atlanta chamado Sweet Auburn.

Essa região ficava próxima ao meu hotel então optei por ir caminhando. Por ser domingo cedo, as ruas estavam bastante vazias e encontrei muitos sem teto durante o trajeto. Eles não chegavam a ser agressivos, mas, a grande maioria deles me abordou pedindo dinheiro ou comida, e, por me sentir um pouco insegura, optei por terminar o trajeto com o trem de superfície. Esse tram estava gratuito até o final de 2015 e fazia um trajeto circular passando pela estação de metro PeachTree e o King District.

Seu passeio deve iniciar-se pelo Complexo construído pelo Governo. Lá você encontrará salas com fotos e exibições de multimídia com a história do líder. Extremamente bem conservado e com muita informação. É lá também que você agenda a visita guiada na casa em que Luther King e sua família viveram.

Não consegui fazer essa visita pois comecei meu tour pelo outro lado da rua e, quando fui tentar agendar a visita, só havia vaga para uma que se iniciaria em 4 horas… portanto, como são poucas pessoas em cada tour, faça a sua reserva assim que chegar.

Saindo do prédio você encontrará a “World Peace Rose Garden”.

Igreja Batista de Ebenezer

Igreja Batista de Ebenezer, Atlanta, Estados Unidos
Igreja Batista de Ebenezer

Na rua em frente você encontrará a Igreja Batista de Ebenezer onde Martin Luther King  se formou pastor e atuou como co-pastor até sua morte em 1968. Aparentemente ainda há cultos na Igreja, entretanto, quando fui, estava vazia. Ao lado da Igreja há um memorial em sua homenagem, onde está seu túmulo e o da esposa. No mesmo local, há um museu modesto mantido pela família com roupas e objetos pessoais, além de salas para homenagear seus principais líderes influenciadores.

No quarteirão seguinte, você encontrará a casa em que ele viveu (é a segunda casa depois do corpo de bombeiros) e, poderá conhecer a arquitetura das casas, uma vez que a vizinhança se manteve com as mesmas características.

A visita a esse bairro é imperdível! Aproveitei para conhecer um mercado municipal que fica na região, mas, não vale a visita.

Center for Civil and Human Rights

Center for Civil and Human Rights, Atlanta, Estados Unidos
Center for Civil and Human Rights

Para não perder o fio da história, aproveitei o mesmo dia para conhecer o Center for Civil and Human Rights (com o City pass você deveria escolher essa atração ou o Zoo de Atlanta).

O Museu possui quatro galerias com exposições permanentes e temporárias. Você pode aprender sobre a história de Martin Luther King, a histórias dos movimentos sociais entre 1950 e 1960. O museu trata também da luta das comunidades LGBT, dos imigrantes e da exploração de menores.  Vale muito a pena a visita!

Compras em Atlanta

No restante do dia fui tentar fazer algumas comprinhas. Os outlets em Atlanta são muito distantes e para chegar lá é necessário ir de carro. Há a opção de contratar um shuttle, mas, custava 60 dólares. Com o dólar a R$ 4.00, não achei que valia a pena gastar esse valor com transporte.

Como precisava de uma mala, procurei a Target mais próxima. Na mesma região, você encontra uma BestBuy, uma loja Marshalls e algumas menores. Para isso, deve descer na Lindemberg Station e perguntar para os locais (são aproximadamente 3 quarteirões do metro).

À noite fui ao shopping Lenox (estação Lenox do metrô – acesso direto). Não é um outlet, mas tem uma Macys e uma Cheese Cake Factory.

Dia 3

Atlanta Food Tour

No último dia, optei por fazer um Food Tour. Havia 3 muito bem recomendados pelo site TripAdvisor. Um deles não operava aos domingos, o outro estava full booked. Agendei, portanto, o Atlanta Food Tour.

Encontrei-me com a minha guia na estação Inman Park às 11 horas. Era apenas eu no tour que custou 65 dólares e reservei pela internet. O tour consistia em um passeio a pé pela vizinhança e parada em 5 locais diferentes para degustar a cozinha local. A guia era bastante animada e tinha muito conhecimento histórico do local, mostrando algumas casas de famílias importantes e históricas, além de detalhes da arquitetura.

A primeira parada foi no restaurante One Eared Stag, famoso na região pelo brunch. Experimentamos um pão com molho de azeitonas e uma fatia de bacon simplesmente divina e maravilhosa! Teria encerrado o tour lá e, na verdade, deveria rsrsrs!!!

O segundo restaurante deixou muito a desejar (The Albert). Comemos 2 asinhas de frango a passarinho e seguimos para o King of Pops onde tomamos um sorvete. Enquanto nos refrescamos com o sorvete (que nada deixa a desejar às famosas e atuais paletas mexicanas), conheci um parque bastante usado pela população: The Beltline.

Terminamos o passeio no Krog Street Market, um mercado novo, com excelentes opções de alimentação, que, se não fosse pelo tour não conheceria. Entretanto, apesar do valor que paguei, terminei o tour com fome. Após ser deixada pela guia no mercado, comi mais uma porção de dumpling (que realmente estavam deliciosos).

College Football Hall of Fame

College Football Hall of Fame, Atlanta, Estados Unidos
College Football Hall of Fame

Ainda me sobrava um tempinho e fui utilizar meu ultimo passe. Me interessava mais o museu de historia Natural, entretanto, como era mais distante e logo precisaria ir para o Aeroporto, optei por conhecer o College Football Hall of Fame.

Confesso que minha visita durou menos de 30 min. O museu é fantástico. Você ganha na entrada um passe no qual são salvos seus dados pessoais e seu time. Com esse passe, você é reconhecido em todas as atividades interativas (que são muitas) e depois pode acessá-las via um link em casa.

Para quem é fã de futebol americano, é diversão garantida (principalmente para as crianças). O Museu é muito bonito e bem organizado porém, não era para mim.

Underground Atlanta

Voltando para o hotel, me deparei novamente com uma placa no metrô Five Points que estava me intrigando desde o início do passeio em Atlanta: Underground Atlanta. Como minha visita ao museu do Futebol foi rápida, resolvi averiguar o que era isso. A vantagem dessa minha parada foi apenas uma: deixar registrado que não tem nada de interessante lá. São algumas barraquinhas bem populares, num túnel subterrâneo, sem charme e sem nenhum apelo turístico.

Hora de voltar pra casa

Chegou a hora de voltar para casa. Ficou uma excelente impressão de Atlanta. Acho que vale a pena uma visita. Três ou quatro dias são suficientes para explorar as principais atrações da cidade. Como as atrações são distantes, talvez alugar um carro seja uma boa dica.

Ficou faltando visitar o Museu de História Natural, o High Museum, o Stone Mountain Park e o famosíssimo Parque de diversões Six Flags. Quem sabe numa próxima?

Luciana Mardegan

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Press ESC to close