Canadá é um país muito interessante para se visitar e Vancouver é o melhor destino do país. O povo canadense é muito educado, as cidades são limpas e organizadas e o país possui um bom sistema de transporte público.

  • O atendimento é educado, mas impessoal – não vai ser um lugar em que você vai fazer amizades facilmente com os nativos.

As atrações são caras. No Canadá não existe almoço grátis! Tudo é pago, desde museus até estacionamentos (não vi nenhuma vaga para estacionar nas cidades que não fosse Zona Azul). Por isso, pense 2 vezes antes de alugar um carro no Canadá.

O imposto de valor agregado (VAT) incide por fora e, via de regra, incide “tax” sobre todos os produtos e serviços. Portanto, o preço do produto ou do serviço que lhe é informado nunca é o preço final.

Vancouver, British Columbia

Comecei a minha visita ao Canadá por Vancouver, na província de British Columbia (BC). Sem dúvida, o melhor destino que vistamos no Canadá.

  • A capital de British Columbia é Victoria (vamos visitá-la na nossa viagem) e não Vancouver, que é a maior cidade. Não se deve confundir Vancouver com a Ilha de Vancouver (Vancouver Island), que é uma ilha do pacífico onde fica a cidade de Victoria.

O clima é agradável, a beleza natural é excepcional e as pessoas são muito educadas. Os preços dos serviços na cidade também não são tão caros quanto os da costa leste.

Acho que vale à pena passar, pelo menos, 5 dias em Vancouver para aproveitar todas as atrações. Foi o que fizemos e contamos para você nesta série de artigos. 

Downtown Vancouver e West-End (fonte: GoogleMaps)
Downtown Vancouver e West-End (fonte: GoogleMaps)

Nosso roteiro foi o seguinte:

Na maior parte do tempo, passamos em Downtown Vancouver (centro da cidade) e em West-End, regiões que formam uma península na Cidade de Vancouver, mas também visitamos atrações em toda região metropolitana. Confira aí!

Como chegar a Vancouver?

Chegamos em Vancouver, BC, no Canadá, com um voo da Air Canada a partir da cidade do México.  O voo foi comprado com pontos do programa Mileage Plus da United Airlines, que pertente à Star Alliance, tal como a Air Canada. O voo dura aproximadamente 5 horas e meia.

Não há voos diretos do Brasil para Vancouver. Se você vier de Air Canadá, irá fazer uma conexão em Toronto (YYZ). Outra opção é vir com alguma companhia aérea americana (United, American Airlines). Com a American Airlines, você poderá fazer conexão em Los Angeles (LAX) ou em Dallas Fort Worth (DFW). Com a United, poderá fazer conexão em Washington DC (IAH) ou em Chicago (ORD).

  • Fique atento: Se vier com alguma companhia americana, além do visto do Canadá, também deverá ter o visto americano.

Imigração em Vancouver

Como eu falei, brasileiros precisam de visto para visitar o Canadá. A partir de 1/5/2017, o governo canadense disponibilizou uma outra opção para os viajantes brasileiros: a autorização eletrônica de viagem (ETA).  Entretanto, para solicitar a autorização eletrônica de viagem, o cidadão brasileiro deverá preencher algumas condições: ter um visto válido de não imigrante para os Estados Unidos ou já ter obtido um visto canadense nos últimos 10 anos. Saiba mais, clique aqui.

  • Fique atento: a ETA só é válida para viagens aéreas ao Canadá ou para quem for transitar por algum aeroporto canadense com outro destino, por exemplo.

A imigração no Canadá foi rápida, mas, o oficial nos fez diversas perguntas, tais como: o que  pretende fazer no Canadá? Como vocês são relacionados (fui com o meu pai)? O que você faz no Brasil? Conhece alguém no Canadá? Pediu para ver o meu passaporte brasileiro (entrei com o meu passaporte português). A alfândega foi tranquila. Só entregamos um formulário preenchido.

Do Aeroporto para a Região Central

Saindo do Aeroporto de Vancouver (YVR), que fica na região sul da cidade, pegamos um trem para Yaletown, estação mais próxima do nosso hotel na região central.

Onde ficar?

Nos hospedamos no hotel Bestwestern Plus Downtown Vancouver que fica na Drake St com a Grandville St.  Um hotel com excelente relação custo-benefício e bom atendimento. A reserva foi feita pelo Booking.com e o paguei em torno de R$ 1.300 por 5 diárias sem café da manhã.  Os quartos são bons e há Wi-fi grátis. Além disso, o hotel oferece gratuitamente um shuttle para a região central (tem que fazer reserva) e também disponibiliza bicicletas por até 3 horas para os clientes.

A região é cheia de cafés e lojas de conveniência.  Um ponto negativo é que a Grandville Street é cheia de pedintes e mendigos, mas nada que se compare às cidades brasileiras.  O hotel mudou de nome e provavelmente de administração. Chama-se GEC Granville agora.  Não posso afirmar se houve alteração na qualidade do serviço após esta mudança.

No próximo post, contamos como foi o nosso primeiro dia em Vancouver. Visitamos a Granville Island.

Até lá!

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It