O que fazer em Guangzhou? 7 lugares imperdíveis para visitar!

Guangzhou (Cidade de Cantão) é capital da província de Guangdong e a terceira maior metrópole da China. A cidade tem mais de 2.000 anos de história e, desde cedo, despertou a sua vocação comercial, destacando-se por ter sido o principal porto da rota marítima da seda. Guangzhou também foi cenário de importantes eventos da história da China, tais como, as Guerras do Ópio (século XIX) e a fundação da República Chinesa (início do século XX).

Como toda cidade grande, ela tem muito a oferecer a seus visitantes. A despeito de ser mundialmente conhecida pela Canton Fair, a maior feira comercial da China, Guangzhou também contém atrações culturais, históricas e naturais para os seus visitantes, mesclando o moderno e o tradicional.


Leia também:


Não sabe o que fazer em Guangzhou? Confira 7 lugares imperdíveis para você visitar!

1. Yuntai Garden

Escadaria na Entrada, Yuntai Garden, Guangzhou
Escadaria na Entrada, Yuntai Garden

O Yuntai Garden é a pérola da cidade de Guangzhou. Trata-se de um parque florido de 120 mil m2 localizado ao sul da Montanha Baiyun. Inaugurado em 1995, o lugar é imenso, sendo muito difícil aproveitar tudo o que o parque tem a oferecer. São mais de 200 tipos diferentes de flores para você apreciar, com diferentes formatos e cores.

Mas, não são só flores! O parque contém, ainda, belos lagos, jardins, esculturas, colunas romanas e estruturas que representam moinhos e casas holandesas. Enfim, o parque integra elementos da cultura ocidental e chinesa.

Jarro de Chá, Yuntai Garden, Guangzhou
Jarro de Chá, Yuntai Garden

No dia em que visitamos o Yuntai Garden, funcionários estavam preparando as exposições e arranjos para a celebração do ano novo chinês. Logo na entrada, vislumbramos uma belíssima escadaria com muitos desenhos e cores, que, infelizmente, estava fechada em razão dos trabalhos.

O parque é um espaço de contato com a natureza, de relaxamento e de contemplação na metrópole de Guangzhou. É ideal para caminhadas e para fotos. Não é incomum encontrar casais realizando ensaios fotográficos no local. Os visitantes combinam o passeio do Yuntai Garden com a visita à Montanha Baiyun.

Roman Collonade, Yuntai Garden, Guangzhou
Roman Collonade, Yuntai Garden

No Yuntai Garden, merecem destaque as seguintes áreas:

  • Roman Collonade: são belíssimas colunas romanas às margens de um lago. Alguns jatos d’água ficam à frente dessas colunas.
  • Rose Garden: um jardim com mais de 1.500 m2 e mais de 100 espécies diferentes de rosas, com diferentes tamanhos e cores.
  • Glass Green House: estufa de vidro de 1.200 m2 usada, especialmente, para cultivo de orquídeas e cactos.
  • Ecological Valley: vale natural de 130 mil m2. É uma área nova com montanhas, florestas, lago, peixes, aves e pavilhões que criam um ambiente ecológico. Infelizmente, o vale ecológico estava fechado quando visitamos.
Rose Garden, Yuntai Garden, Guangzhou
Rose Garden, Yuntai Garden

O ticket custa 10 yuans e o jardim está aberto das 8 às 17hs. A melhor época para visitar o Yuntai Garden é na primavera ou no verão, quando as flores estão mais exuberantes.

Yuntai Garden, Decoração Holandesa, Guangzhou
Decoração Holandesa

Não há estação de metrô próxima. É possível pegar os ônibus 223, 218, 199, 179 e 175. No nosso caso, ficamos por bastante tempo num ponto de ônibus que não chegava nunca, por isso, decidimos utilizar o transporte pelo aplicativo Didi Greater China.

2. Baiyun Mountain

Teleférico para a Baiyun Mountain, Guangzhou, China
Teleférico para a Baiyun Mountain

A montanha Baiyun (Baiyunshan – 白云山), também chamada de Montanha da Nuvem Branca, é um ponto de interesse desde as épocas mais remotas (200 AC). A montanha sempre foi vista como a protetora da cidade. O nome Baiyun  (白云) significa “Nuvem Branca” em mandarim. Shan (山) significa montanha. A origem desse nome está na formação de uma coroa de nuvens ao redor da montanha, especialmente após a chuva.

Situada a mais de 400m de altitude, a montanha é um espaço enorme, equivalente à área de Macau, e com vários picos. Moxing Summit é o pico mais alto de todos. A montanha é toda rodeada de floresta, por isso, também é chamada de pulmão da cidade.

Mountaintop Square, Baiyun Mountain, Guangzhou
Mountaintop Square, Baiyun Mountain

O local é ideal para quem quer fugir da agitação da cidade e ter contato com a natureza. São várias atrações que incluem desde sítios culturais, templos, restaurantes, miradouros, casas de chá e, ainda, atrações para crianças.

  • Fique atento: em algumas referências feitas à Montanha Baiyun, são incluídas as atrações desde a parte mais baixa, tais como o Yuntai Garden e o Luhu Park, até a parte mais alta, o Moxing Summit.
Vista de Guangzhou a partir da Baiyun Mountain
Vista de Guangzhou a partir da Baiyun Mountain

Para chegar lá, o melhor jeito é pegar o teleférico, cuja entrada fica ao lado do Yuntai Garden. O ingresso custa 25 yuans para subir e 20 yuans para descer. O teleférico te leva até uma praça na montanha (Mountaintop Square), com miradouros, cafés e lanchonetes.

Mas, como eu falei, a montanha é imensa.

Prepare-se para caminhar e subir ladeiras para conhecer as demais partes da montanha. O ideal é você pegar um daqueles carros elétricos que te levam pela montanha em roteiros pré-definidos.

Guangzhou Steles

Guangzhou Steles, Baiyun Mountain
Guangzhou Steles, Baiyun Mountain

Caminhei por uma rota chamada de Jiulongquan até um local conhecido como Guangzhou Steles ou, ainda, Guangzhou Forest of Stone Tablets (Jiulongquan é o caminho mais rápido para chegar ao Moxing Summit, mas prepare-se para andar).

Guangzhou Forest of Stone Tablets, Baiyun Mountain
Guangzhou Forest of Stone Tablets, Baiyun Mountain

Essa “Floresta de Tábuas de Pedra” está junto a um morro e conta com obras de poetas e calígrafos chineses. Após passar por um portal e uma edificação, você pode subir por várias escadas, passando por algumas dessas tábuas de pedra. Há miradouros em vários níveis, mas as vistas não são tão boas.

  • Com tanta coisa para se fazer na região da montanha Baiyun, acho que vale a pena ficar 1 dia só por lá. Veja só o que você pode visitar, nas partes alta e baixa da montanha: Luhu Park, Yuntai Garden, Moxing Summit, Sculpture Park, Yunxi Ecological Park, Baiyun Songtao, dentre outras atrações.

3. Shamian Island

Shamian Island, Central Avenue, Guangzhou
Central Avenue, Shamian Island

Shamian significa “superfície arenosa” em chinês. Não era uma ilha, mas um banco de areia no Rio da Pérola. Tornou-se um local estratégico de defesa durante as Guerras do Ópio, mas as fortificações foram tomadas pelos britânicos.

Após as Guerras do Ópio, Shamian foi concedida aos britânicos e franceses (1859-1943). Os primeiros ficaram com 4/5 da área, na parte oeste, e os franceses, com 1/5, na parte leste.

Mapa da Shamian Island, Guangzhou
Mapa da ilha: áreas de concessão britânica e francesa (créditos: Wikimedia)

Durante a concessão, as potências estrangeiras cavaram um rio artificial, tornando Shamian uma ilha. Foram construídos calçadões e várias edificações no estilo europeu, incluindo igrejas e representações diplomáticas estrangeiras. Empresas de vários países se estabeleceram em mansões junto ao waterfront. Duas pontes conectavam Shamian com o continente: a Bridge of England e uma ponte francesa. Enfim, foi com a colonização europeia que a ilha adquiriu as configurações atuais.

Estátuas na Shamian Island, Guangzhou
Estátuas na Shamian Island

Atualmente, a ilha de formato elíptico (900m x 300m) é um excelente lugar para fugir da agitação da metrópole, fazer uma caminhada ou simplesmente voltar no tempo. Praticamente não há carros circulando na ilha. Hoje em dia, você encontra por lá hotéis, restaurantes e cafés. Merece destaque a avenida Central, um amplo boulevard com jardins e fontes. Tudo bem cuidado!

Dançando na Shamian Island, Guangzhou
Dançando no waterfront da Shamian Island

Estátuas de bronze estão espalhadas por toda ilha, retratando o modo de vida das pessoas na era colonial. Muitos visitantes param para tirar fotos. No waterfront, ficamos encantados com um grupo de chineses dançando e se divertindo às margens do Rio da Pérola.

Shamian island e a Ponte para o Continente, Guangzhou
Shamian island e a Ponte para o Continente

Para chegar à Ilha Shamian, você pode descer na estação de metrô Huangsha (linhas 1 ou 6) e usar a saída F. Cruze uma passarela sobre o canal para chegar à Ilha.

4. Sun Yat-Sen Memorial Hall

Sun Yat Sen Memorial hall, Guangzhou, China
Sun Yat Sen Memorial Hall, Guangzhou

Sun Yat-Sen (1866-1925) foi um médico, filósofo e político chinês. Considerado o Pai da República Chinesa, é um dos poucos líderes políticos venerados tanto em Taiwan quanto na China Continental.

Esteve no exílio por várias vezes e participou de vários levantes contra a dinastia Qing. Guangzhou foi utilizada como base para um desses levantes. Com a revolução Xinhai, que culminou com a abdicação do imperador, foi escolhido como o primeiro Presidente provisório da República da China. Entretanto, o país estava politicamente fragmentado. Infelizmente, ele não sobreviveu para ver o país unificado, o que só aconteceu sob a liderança de Chiang Kai-Shek em 1927.

Auditório, Sun Yat Sen Memorial hall, Guangzhou, China
Auditório, Sun Yat Sen Memorial Hall

Sun Yat-Sen recebeu homenagens na China e no exterior. O seu mausoléu, por exemplo, fica em Nanjing, uma antiga capital. A cidade de Zhongshan, também na província de Guangdong recebeu esse nome em tributo ao pai da República. Da mesma forma, em várias cidades chinesas, existe a rua Zhongshan (Zhongshan Lu). Zhongshan, a propósito, era um dos nomes pelos quais Sun Yat-Sen foi conhecido.

Cúpula do Auditório, Sun Yat Sen Memorial Hall, Guangzhou, China
Cúpula do Auditório, Sun Yat Sen Memorial Hall

Em Guangzhou, encontra-se o Sun Yat-Sen Memorial Hall, construído onde ficava a sede do governo de 1912 a 1925. A construção deu-se entre 1929 e 1931. O espaço tem 62 mil m2 de área total. A área externa é muito bonita e tem jardins bem cuidados. Uma estátua de bronze de Sun Yat-Sen de 5,5 metros e 3,8 toneladas assume uma posição de destaque.

No centro, encontra-se um imponente edifício de formato octogonal com 6.600 m2. Na frente da imponente construção, 8 pilares vermelhos sustentam a estrutura. Logo acima, 4 caracteres chineses transmitem uma mensagem escrita pelo próprio Sun Yat-Sen. “Tian Xia Wei Gong” significa “o mundo pertence a todos”, em contraste com a visão da dinastia imperial, que dizia “Todos sob o céu”.

São 2 pisos acessíveis aos visitantes com painéis que contam a história de Sun Yat-Sen e da construção do memorial. No centro, um belíssimo auditório abriga até 3.240 pessoas. Um domo oval também chama a atenção.  Quando visitamos, em janeiro de 2020, pudemos observar alguns ensaios para as festividades do ano novo chinês.

Entrada do Sun Yat Sen Memorial Hall, Guangzhou, China
Entrada principal do Sun Yat Sen Memorial Hall

O ingresso é de 10 yuans para as exposições no interior do edifício. Nas áreas externas, o visitante pode passear gratuitamente.

Para chegar no Memorial, basta descer na estação de metrô Sun Yat-Sen Memorial Hall e utilize a saída D.

5. Zhujiang New Town

Zhujiang New Town, Guangzhou, China
Zhujiang New Town, Guangzhou

Zhujiang New Town é o novo distrito econômico e financeiro (CBD) de Guangzhou, mas também contém uma zona residencial. Trata-se de uma área de 6,44 km2 que foi reurbanizada, em especial, para os jogos asiáticos de 2010. Atualmente, é onde está a maior concentração de hotéis de luxo e escritórios comerciais de Guangzhou. Consulados dos Estados Unidos e da Austrália também se instalaram por lá.

Open Plaza, Zhujiang New Town, Guangzhou
Open Plaza, Zhujiang New Town

Na aérea central, há uma “open plaza” de 1,5 km de extensão. Em verdade, são 5 praças  abertas e ligadas entre si de norte a sul até a Ilha Haixinsha. A “open plaza” incorpora shoppings centers subterrâneos e é rodeada de construções modernas e imponentes.

Dentre essas edificações, destaca-se a Biblioteca de Guangzhou. Ela é imensa, com 9 andares e toda equipada com computadores.  É impressionante ver quantas pessoas estão estudando por lá.

Biblioteca de Guangzhou, Zhujiang New Town
Biblioteca de Guangzhou, Zhujiang New Town

Outros edifícios que se destacam na Zhujiang New Town são o Museu de Guangdong, a Opera de Guangzhou, o IFC Tower e o Pearl River Tower.

Ao sul de Zhujiang New Town, vê-se, do outro lado do rio da Pérola, a também imponente Canton Tower.

Há duas opções para chegar: de metrô, chegando até a estação Zhujiang New Town (linha 3), e de people mover, uma linha especial de trens autônomos que opera por lá.

6. Canton Tower

Canton Tower, Guangzhou
Canton Tower

A Canton Tower é uma torre de 600 metros localizada no distrito de Haizhu, às margens do Rio da Pérola. É o cartão postal de Guangzhou. É a 2a maior torre de TV da China e a 4a maior do mundo. São 112 andares. Foi construída para os jogos asiáticos de 2010.

A torre tem formato hiperboloide e o design foi feito pelo arquiteto holandês Mark Hemel, inspirado nos quadris de uma mulher que se vira para olhar para trás.

À noite, a torre fica toda iluminada e traz, por vezes, algumas mensagens.

No interior da torre, há restaurantes, entretenimento e plataformas de visualização.

Bubble Tram, Canton Tower, Guangzhou
Bubble Tram, Canton Tower

Duas atrações na Canton Tower se destacam: o Bubble Tram e o Sky Drop. O Dubble Tram é um conjunto de cabines de cristal que caminham por um trilho, girando em torno do topo da torre. O Sky Drop, por sua vez, é uma queda livre de 30 metros.

O ingresso na torre custa 150 yuans. O preço do Sky Drop e do Bubble Tram é de 180 yuans cada. Para chegar lá, recomendo ir de metrô e descer na estação Canton Tower East Station (linha 3).

7. Beijing Lu (Beijing Road)

Beijing Lu, Guangzhou, China
Beijing Lu

Beijing Lu (ou rua Pequim) é uma rua de compras localizada no distrito de Yiexiu, em Guangzhou. Na sua maior parte, é um calçadão, ou seja, uma área exclusiva para pedestres. Num dia normal, 400 mil pessoas visitam a Beijing Lu.

Costuma-se chamar de Beijing Lu toda a região comercial em torno da rua (da mesma forma que se fala na 25 de março em São Paulo). Por lá, você encontra uma grande variedade de shoppings centers, lojas de rua, restaurantes e barracas de ambulantes.  Os turistas também costumam visitar os templos budistas que ficam na região.

Há muitos produtos falsificados e bugigangas, mas lá você também encontra lojas de produtos de marca e de souvenirs.  Nas barracas e lojas mais simples, é importante pechinchar. Negocie por 1/3 do preço que lhe foi pedido.

Dentre os shoppings centers, destaca-se o Metro Mall, onde é possível comprar roupas baratas no 1° andar. Entretanto, você deve ficar atento, pois os tamanhos não se adequam perfeitamente ao biotipo brasileiro. Existem também várias lojas de departamento na região, tais como, a GrandBuy, Xindaxin, Mayflower, Daxian e Ginza. Uma loja que recomendo por lá é a Miniso, onde você encontra produtos para casa bons e baratos.

Algo que incomoda bastante o visitante é a abordagem de alguns vendedores na rua. Querem vender relógios, sprays de limpeza e outras bugigangas. Seja assertivo: diga não! Jamais vá com eles às suas lojas.

A Beijing Lu tem uma história de longa data. Na área central da rua, o visitante pode observar trabalhos de escavação arqueológica, cobertos por um vidro, com resquícios que datam da dinastia Ming (entre 1368 e 1644).

Para chegar à Beijing Road, desça na estação Gongyuanqian (linhas 1 ou 2) do metrô e utilize as saídas C ou D. Você também pode descer na estação Beijing Road (linha 6) e usar a saída B.

Resumindo

Guangzhou não é apenas uma cidade de negócios, mas um importante destino turístico no sul da China. Indicamos 7 lugares imperdíveis para você visitar na Cidade de Cantão. Obviamente, as atrações indicadas são apenas uma amostra do que a metrópole tem a oferecer para os seus visitantes. Ademais, você pode usar Guangzhou como base para fazer passeios de um ou mais dias para outros destinos turísticos da China, tais como, Hong Kong, Macau, Guilin e Shenzhen. Considere incluir Guangzhou no seu roteiro turístico!

Emerson Cesar

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Press ESC to close

Enviando dinheiro para a Argentina via Western Union Buenos Aires: comendo bem e barato